A morte olha o relógio (Doomsday Clock)

A morte tem seu próprio relógio

Durante a Guerra Fria as pessoas dormiam e acordavam sob tensão. A qualquer momento poderia acabar o mundo, bastava uma das potências mundiais sair do blefe para o ataque de fato, com suas armas nucleares (e a resposta vindo em seguida). Assim, nesse clima de tensão, nasceu o Relógio do Juízo Final (ou Doomsday Clock). Mantido desde 1947 até hoje, o Relógio do Juízo Final marca simbolicamente o quão perto estamos do "fim da humanidade", o que é representado pela meia-noite (12:00). De início, de olho nas ameaças nucleares, hoje também leva em conta ameças climáticas.

O mais perto que tivemos da meia-noite foi entre os anos de 1953, e 1959, quando marcou 2 minutos para a meia-noite. Entre 1991 e 1994 foi o período em que estivemos mais seguros: 17 minutos para a meia-noite. Hoje o relógio marca 11:55, o que é relativamente preocupante.

O fim do mundo já foi explorado exaustivamente nas obras de ficção (e nas religiões). De quantas formas poderia terminar?

  • Ameaças nucleares
  • Catástrofe ambiental
  • Ameaça astral
  • Paradoxo da viagem no tempo
  • Apocalipse Zumbi
  • Despertar de Cthulhu
  • Ameaça tecnológica-bélica
  • Monstros marinhos
  • Ameaça alienígena
  • Experiências científicas falhas
  • Emburrecimento global

Este último é muito bem retratado no filme Idiocracy, que recomendo bastante. Infelizmente, muitas vezes parece mesmo que estamos caminhando nessa direção. Fico me perguntando que hora o relógio marcaria se levasse em conta todas essas (e outras) possibilidades (algumas bem irreais, vamos dizer...)

Special: 
Avalie: 
Average: 5 (1 vote)

Comentários

imagem de Mário RPG

belo texto meu chapa... bom demais.

Comentar