Marionetes do Ódio

Me angustia perceber como temos um congresso conservador e que joga contra os direitos do seu povo. Que o Estatuto da Família, sob pretexto de proteger, vem para humilhar todos os arranjos familiares com os quais certo grupo religioso não concorde. Que a reforma política nascida lá pretende tirar ainda mais poder do povo e fortalecer partidos fisiológicos. Que um projeto de lei pretende exigir que todo internauta brasileiro se cadastre para poder navegar e, ao mesmo tempo, que toda corrupção de políticos seja esquecida da Internet. Me angustia ver como Senado e Câmara jogam contra o Brasil e fazem de tudo para enfraquecer cada vez mais o Planalto, para impor seus programas nefastos.

Me angustia quando a Corrupção é institucionalizada e quando eu percebo que os provavelmente mais corruptos são os que mais a usam como arma para atacar os outros, com todo apoio da imprensa para esconderem suas sujeiras. Que quem tem teto de vidro é quem mais atira pedras, pois tem o apoio das famílias mais ricas e influentes do Brasil, com a certeza da impunidade.

Me angustia essa certeza de impunidade ser personificada na tentativa de proibir acesso público a documentos relacionados a um caso de corrupção relacionado ao Metrô de São Paulo, por 25 anos. E termos um presidente da Câmara, sob acusações fortíssimas, que clara e descaradamente mentiu diante de uma CPI, sendo investigado por crimes de colarinho branco até na Suíça, mas que é blindado por partidos e projetos de oposição, tornando-se, mesmo assim, quase intocável.

E o que dizer de termos um partido que foi financiado por empresas investigadas pela Lava Jato, uma grande investigação sobre corruptos e corruptores, tentando tirar do poder outro partido por ter sido financiado pelas mesmas empresas, em escala muito parecida de investimentos? Me angustia a hipocrisia reinante.

E quando até mesmo um juiz do Supremo escancara seu partidarismo, com um discurso de ódio a um partido político? Juizes que deveriam zelar pela isenção, mas evitam, como podem cumprir bem seu importante papel em nossa sociedade? Se não eles, quem cumprirá?

E o ódio... Esse ódio também traz muita angústia. É saber que as famílias mais ricas do país ainda detém os mais influentes veículos de informação. E que, talvez por acordos com um partido de oposição mais comparsa da Elite, talvez por medo de regras que limitem sua influência (prometido pela presidenta em campanha), talvez por outro motivo, talvez mesmo por pura safadeza, eles manipulam o povo. Como não podem inventar notícias (exceto por casos como a bolinha de papel jogada contra um presidenciável em 2010, que na mão dos Marinho virou quase um tijolo), eles simplesmente omitem boas notícias (que sim, existem) e, principalmente, enviezam discursos. Nunca promovem debates (exceto os exigidos pelo TSE), mas apenas a pregação da opinião que eles querem que seja a aceita, informando o povo como um professor a dar aula na 5ª série, de uma matéria pretendida como verdade absoluta.

Me angustia saber que a campanha eleitoral da oposição ainda não acabou, mesmo após quase um ano do período eleitoral. Ao invés disso, ela se transformou em uma campanha para conquistar o poder. Conquistar no sentido mais medieval possível, à força se for preciso. E que essa campanha, junto com a postura parcial da mídia tem manipulado tanto nosso povo. Me angustia o grande número de marionetes, controladas com talento pelos fios do ódio.

Pode parecer exagero, mas esse ódio está se tornando cada vez mais perigoso para a nossa vida civilizada. Hoje todos entendem como foi horrível os nazistas matarem tantos judeus; como é horrível o Estado Islâmico aniquilar vilas e cidades; como obrigar refugiados de guerra a voltar para o seu país sem assistência alguma é condenar famílias inteiras à morte; como a força militar oprimia estudantes e condenava suspeitos sem investigar (a não ser que torturas incapacitantes possam ser consideradas como investigação). Os frutos do ódio são fáceis de perceber quando olhados com distanciamento, mas muitos não o notam olhando de perto. Quando um homem não pode visitar parente em hospital sem que eufóricos tumultuem o ambiente, ou quando uma família tem que se deparar com manifestações de ódio durante um enterro de um ente querido, ou quando alguém é agredido na rua simplesmente por ter um posicionamento político diferente, temos alguma coisa muito errada acontecendo.

E esse ódio serve a um interesse: o projeto de tomada de poder um partido que foi derrotado nas urnas. Me angustia quando até juizes estão contaminados por esse ódio. Quando pretendem "fazer justiça" em nome desse ódio ao invés de julgar.

Sabe o que mais? Estão avançando aos poucos. Talvez amanhã não tenhamos mais a presidenta atual e é triste ver que as marionetes não percebem para onde o país está sendo levado.

Imagine um congresso com presidente igualmente conservador. E com que cara iremos para a Associação dos Países Golpistas Anônimos? Ao invés de dizermos "Estamos há 30 anos em democracia" vamos ter que aceitar uma recaída. Isso pode parecer "besteira", mas não é. Você pode chamar esse movimento pelo impeachment do que quiser, mas quando poderes são manipulados para forçar a saída de um presidente eleito, quando o acusador tem todas as características de indício que ele aponta no acusado, quando o projeto de impeachment nasce 1 ano antes de a causa ser definida ("Ela tem que ser presa, depois a gente inventa pelo quê"), temos sim um golpe em andamento.

Como em qualquer grupo de recuperação de dependentes sabe, quando temos uma recaída é difícil sair, é preciso muita força de vontade. Se esse projeto de tomada do poder for bem-sucedido, teremos algumas décadas de presidentes em risco de serem botados para fora caso não atendam aos interesses dos poderosos. Você acredita que o grau de investimento do país melhora em um cenário assim?

Sabe outra coisa que me angustia também? Termos tantos motivos para criticar a presidenta e ver que esses motivos não são vistos pelas marionetes do ódio, nem pela grande mídia, nem pela oposição. Sabe por quê? Porque parte desses motivos foram impostos a ela na tentativa de "garantir governabilidade" e são apoiados por esses grandes grupos. Me angustia olhar para a frente: tenho medo de ver o abismo que foi construído para nós.

-- Cárlisson  Galdino

Avalie: 
Average: 1 (1 vote)

Comentar