Firefox OS, um ano depois

A raposa largando da Terra...

Há quase um ano eu adquiria o LG Fireweb, smatphone da LG que trazia o Firefox OS como Sistema Operacional. Recentemente deixei o dispositivo de lado, cansado dos obstáculos que seu uso trazem. Aqui vou falar um pouco do porque.

Primeiro, continuo achando o Firefox OS uma ideia excelente. O HTML 5 é realmente uma boa saída para a pluralidade de dispositivos. O lado negativo é que, para aplicativos Marketplace, você precisa ter o Firefox rodando no dispositivo alvo (seja sistema Android ou o que for). O lado bom é que, para boa parte dos casos, não é preciso que o aplicativo seja um apk do Firefox OS: ele pode ser simplesmente um aplicativo web, focando um browser genérico. E o HTML 5 vem crescendo mais e mais.

O conjunto de aplicativos disponíveis, apesar da clara carência de apps de algumas categorias, traz alguns muito bons. Ele já vem com um programa de agenda com suporte a CalDav; tem funcionalidade de compartilhar a internet, tanto via USB (que é totalmente plug'n'play em GNU/Linux) quanto via Wifi. São dois dos pontos mais interessantes, a meu ver, mas vamos aos problemas.

O primeiro problema é um simples de entender: falta uma área de transferência. Ter que digitar textos longos em duplicidade ao invés de simplesmente copiá-los de um aplicativo para outro, por exemplo, é algo que irritaria qualquer usuário de desktop. O que dizer então quando falamos de um dispositivo cujo teclado é virtual?

Outro ponto negativo é o cliente de email. O programa, que deve ser bastante competente, tem um bloqueio para servidores de email com certificado SSL autoassinado. Entendo que isso foi feito pensando no usuário leigo, de modo a evitar que se arrisque, mas o que faço eu que utilizo um domínio próprio em hospedagem paga, cujo certificado pode ser comprado, mas a um valor um tanto salgado (para quem quer apenas acessar a própria conta de email)?

A integração de aplicativos com o ambiente ainda está falha. Não sei o quanto deste problema é dos aplicativos e o quanto é do ambiente, mas eles não estão tão entrosados assim. Isso só é realmente necessário em programas de mensagem instantânea, leitores de notícias e programas desse tipo. Para programas assim, é altamente desejável (e esperado) que eles possam ser iniciados automaticamente junto com o Sistema Operacional e nos notifiquem sobre qualquer mensagem chegada (ou ação equivalente).

Outro ponto chato é a falta de poderes que o usuário tem de personalização. Nem mesmo o toque do celular pode ser trocado por um personalizado. Não falo de uma troca meramente, pois ele oferece um leque de toques para escolha, porém não permite que o usuário defina um MP3 ou OGG como o toque.

E, claro, tem os aplicativos. Não há ainda um cliente SIP/Voip. Vários aplicativos são lançados mundo afora (inclusive pelos órgãos do Governo Federal) como se só existissem Android e iPhone no mundo. A percepção da necessidade do uso de HTML 5, creio, só virá quando outros sistemas chegarem ao mercado (ou se, por alguma eventualidade, o Firefox OS crescer assustadoramente em adoção). Claro, isso considerando que eles não trarão truques que permitam rodar aplicativos Android...

Ah, mas há ainda um ponto terrível! A experiência de uso do browser do Firefox OS é muito inferior à experiência de uso do Firefox for Android. O segundo oferece sincronização de dados, suporte a extensões, navegação privativa, enquanto o primeiro não permite sequer escolher qual a ferramenta de busca padrão. Essa falta de recursos é lamentável e, para um usuário antigo do Firefox e que escolheu a plataforma não pela economia mas por ela em si, isso pesa bastante!

Por essas coisas que deixei o Firefox OS de lado, mas o pior é que não só por isso. Alguns desses problemas, sei, já foram até corrigidos em versões posteriores do sistema; com outros dá pra conviver. O principal problema foi fruto da forma como o sistema chegou, ao menos no Brasil (ao menos com a LG). Apesar de o Firefox OS estar na versão 2.1; de ter como última versão estável lançada a 1.4; o Fireweb trouxe a versão 1.1 e a mantém até hoje. A versão 1.2 foi lançada há quase exato 1 ano (9 de dezembro)! Mas a LG não parece ter interesse em atualizar o sistema. Uma simples mensagem que mandei perguntando sobre a atualização levou meses para ser respondida.

Acho que a Mozilla se precipitou no lançamento do Firefox OS, confiando na boa vontade dos parceiros, que não poriam dificuldades para manter o sistema dos clientes atualizado. O compromisso de "repassar as atualizações para os consumidores no máximo 6 meses após a nova versão ser lançada" não está sendo cumprido (e lá se vai um ano). Espero que o plano de a própria Mozilla coordenar as atualizações vingue, pelo bem do sistema, para que não morra na praia.

-- Cárlisson Galdino

P. S.: Mantendo um pouco de "underground", meu novo celular é um Positivo e, até o momento, não tenho do que reclamar. Talvez futuramente veja se há jeito de mudá-lo pra Replicant ou CyanogenMod, mas por enquanto deixa quieto...

P. S. 2: Imagens originais: Earth e Fox.

AnexoTamanho
Image icon fox-unearth.png430.06 KB
Avalie: 
No votes yet

Comentários

imagem de Daniel

Também tenho o FirefoxOS, e o sistema é bem legal, simples, rápido e o ambiente de desenvolvimento é bem descomplicado (Firefox, Iceweasel e outros navegadores baseados no Firefox já tem e funciona), sem falar no HTML5. 

Concordo com seus pontos, mas para mim o maior pecado do FOS foi a integração com operadoras para disponibilizar novas versões. Tenho o Alcatel Onetouch Fire, e até agora não lançaram uma versão nova oficial, então eu uso uma ROM customizada. Tenho o MotoG usando o Cyanogenmod (falcon) e estou feliz sem as "tralhas" do Google. Esperando que um dia o Replicant lance uma versão para meu smartphone.

Comentar