Autoapresentação

O artigo a seguir eu publiquei na primeira edição da Revista Espírito Livre, como uma autoapresentação:

Saudações, amigo leitor da Revista Espírito Livre. Eu sou Cárlisson Galdino e este vai ser meu palco pelos próximos meses. Aqui vocês verão um pouco do que geralmente não se vê em revistas voltadas à tecnologia.

Talvez você não me conheça, mas... Tá, tá bem, provavelmente você não me conhece. Talvez você conheça o Cordel do Software Livre, que publiquei há vários meses através da Internet. E talvez não. Sou o Bardo autor do cordel, caso o conheça (e caso não o conheça também, decerto).

A proposta deste modesto espaço na Espírito Livre é falar sobre Tecnologia e Software Livre usando Arte, ou falar sobre Arte e Software Livre usando Tecnologia, ou o contrário. Enfim, qualquer coisa do tipo.

Nosso mundo não tem mais fronteiras. Como disse Oswaldo Montenegro recentemente em seu blog, "voando de avião, não vemos as linhas separando estados e países. Tudo besteira!" Este é nosso mundo hoje.

Cordel... Falar em não termos fronteiras me lembrou que talvez você que acompanha estas linhas nem saiba do que estou falando, já que cordel é tipicamente nordestino. Cordel é uma poesia enorme colocada num livrinho e pendurada em cordões para a venda. Isso antigamente, já que hoje é possível vender até mesmo pela Internet (ainda não cheguei a isso porque não acho que faça sentido para alguém pagar R$ 1,50 em um produto e precisar pagar quase R$ 30,00 de frete). Afinal, cordéis típicos não têm menos que 15, nem mais que 60 estrofes (aqueles bloquinhos de texto)...

É, escrevo poesia, contos, cordel (que é poesia), romances... Não desenho, mas pra quê? Pra fazer isso já temos outro Karlisson.

Quanto a este Cárlisson que vos fala, sou formado em Ciência da Computação pela UFAL (onde hoje trabalho) e fiz parte da primeira turma do curso de Pós-Graduação em Software Livre pela UFLA. Já tive vários projetos, que por uma razão ou por outra não deram certo: IaraJS, Enciclopédia Omega, Losango, Academia Código Livre... Também já ajudei alguns projetos. Sou membro da Academia Arapiraquense de Letras e Artes. Ajudei meu xará em algumas paródias-charges que ele fez no Nerdson (acho que em todas até o momento, mas sempre foi apenas ajuda, na forma de uma ou outra correção métrica/rítmica ou alguma sugestão. O maior trabalho nas paródias foi sempre dele mesmo).

Neste espaço você vai encontrar poesias de temas raros, didáticas, informativas ou apenas entretenimento geek/nerd/hacker. Também contos ou causos...

Depois de baixar um arquivo no antigo Netscape até concluir 140% do download, a barata parou um pouco para tocar gaita enquanto recompilava o GCC. (Na reversal russa o código-fonte que você escreve é que compila o GCC?) O que viu na tela lhe trouxe a mais pura insanidade. E ela voou pela janela para bem longe e até hoje não há notícias do pobre inseto. Na tela, apenas aquelas palavras assustadoras. Palavras capazes de gelar até mesmo o coração do mais corajoso desenvolvedor: Kernel Panic.

Enfim, espero que vocês gostem da proposta.

Avalie: 
Average: 3 (3 votes)

Comentar