A Silício e Nanquim

À beira-mar tome areia com a mão
Vislumbre a noite escura que caiu
Entre areia contemple a escuridão
E veja tudo aquilo que o mar viu

"As forças se levantam contra ti
Se alinham por controle onde não vês
Em breve, contra a vida, em frenesi
Virão sobre Silício e falsas leis"

"No instante em que o bom-senso humano jaz
Inevitável, a guerra é reação
Pois sem respeito mútuo não há paz"

O mar lhe dirá, pois, sem presunção
"A guerra é a mesma de um milênio atrás
E as mesmas armas eles têm em mão"

Avalie: 
No votes yet

Comentar