A Palavra do Bardo

Quem espera a poesia
Como feia e vazia
Co'uma cara de fastio
Os meus versos nunca viu

Em meus versos trago estrelas
Flutuando livres pelas
Estradas belas do espaço
Dançam sem errar um passo

Nelas trago o pergaminho
E a magia abre caminho
Pros meus versos, de três bases
Que são versos, não são frases

-- Cárlisson Galdino

Special: 
Avalie: 
No votes yet

Comentar