O Duelo da Estrela

A espada pesa, o ombro
Não é o aço
Mais um passo, um tombo
E outra reza

Vem de assalto um medo
Desanima
Em cima do rochedo
Grita alto

Pesa a espada, o peso
De um sertão
O coração aceso
É a enxada

Vem com banal bravura
Traz a lança
Distância não dura
É o rival

A espada: peso morto
Em sua mão
O medo não é do outro
É da mancada

-- Cárlisson Galdino

Avalie: 
Average: 3.4 (131 votes)

Comentários

imagem de Pensador Louco

Fantástico poema, meu amigo. Me remeteu a batalhas e duelos, pelejas e gritos de carga. Essencial como sempre, e me deixou imaginando guerreiros selvagens e pesarosos. Sensacional. 8)

imagem de bardo

Muito obrigado, amigo! O mundo das batalhas é sempre interessante (pelo menos enquanto não somos nós mesmos que corremos o risco de morrer :-P). Abraço

Comentar