O Bruxo

O céu se abre em cinzas
Em fogo, o chão
No céu a neblina
No chão, multidão

A pé, na esquina
Um frio enorme
E nem se imagina
Que a noite não dorme

É medo, se pensa
O fogo que arde
Mas longe da crença
Está a verdade

Mesmo desse jeito
Nada será em vão
Estará o desejo
Ao salto da mão

Avalie: 
No votes yet

Comentar