A Noite

A noite é hostil e o brilho da Lua
Ilumina as brancas nuvens e ruínas
De um mundo que dorme enquanto outro flutua
Das minas que minam, cassinos, cantinas

A noite é hostil e sofrendo co'a sua
Própria hostilidade preenche o deserto
Suas ruas e becos, farsas, falcatruas
Nas cores da noite têm abrigo certo

A noite é hostil em olhares e gestos
O ódio, a paixão, a violência crítica
Explode sob olhos dos astros celestes

Suas luzes que brotam de trevas caóticas
Guiam suas pegadas, não se sabe aonde
A noite é hostil, mas o dia é hipócrita

-- Cárlisson Galdino

Avalie: 
Average: 5 (1 vote)

Comentar