Na Lua

Uma vida pede perdãoLágrima Lunar
Das estrelas da escuridão
Por um crime não cometido
Perdão por não ter conseguido

E se ergue a olhar as estrelas
E as aquarelas escondidas
Entre a imensidão congelante
Como ele vazia nesse instante

Não há ar pra por nos pulmões
Não há o que o faça viver
Nem cores nem há quem queria

Só treva e luz todo o dia
Por décadas na Lua vive
Chora por não poder viver

-- Cárlisson Galdino

Special: 
Avalie: 
No votes yet

Comentar