Armadilha do Consumo

Já não temos tanto tempo
Na correria e loucura
Temos falta de momentos
Por isso a gente procura
Comprar um novo produto
E isso nunca nos cura

É por não conseguir ler
O tanto que se queria
Que nos enchemos de livros
Na visita à livraria
Prateleiras ficam cheias
E a leitura vazia

Crianças podem brincar
Só com imaginação
Mas sem tempo e companhia
Toda essa frustração
Atinge só os brinquedos
Que veem na televisão

Foi o truque do sistema
Pra aumentar o capital
Nos ensina que o vazio
Que nos faz sentir tão mal
Sempre é melhor preenchido
Por algo material

Só nos quer muito doentes
O mundo de hoje em dia
É preciso de silêncio
Paz em meio à correria
E nos conhecer melhor
Pra fugir dessa agonia

Essa é a única esperança
Que nos dará liberdade
Fugindo das ilusões
Sonho vivermos sem grades
Desejo-lhe ser feliz
Da real felilcidade

-- Cárlisson Galdino

Avalie: 
Average: 5 (1 vote)

Comentar