A Arma

Sozinhos, tão distantes desde antiga data
Amor, Saudade e Sonho vêm e quem diria?
Às vezes trazem Dor; em outras, Alegria
Mas sempre vem uma outra e sempre nos maltrata

Qual uma ave trancada em gaiola de prata
Tristeza indesejada quem faz companhia
Sarcástica, tortura a gente noite e dia
Aos poucos, se deixamos, nos machuca e mata

É quando somos tidos por nossa Quimera
É quando nos insiste em recordar alguém
Não temos muitas chances de enfrentar a fera

É a solução cantar contra as dores que vêm
Nos dias em que cantar é a forma mais sincera
De mentir pra si mesmo que está tudo bem

Avalie: 
Average: 4.3 (4 votes)

Comentar