Aquarela

O verde dança em esferas opacasLágrima Lunar
Num amarelo, quase avermelhado
O cinza arma um tapete no chão
Com esse céu grafite contrastado

Azuis, as nuvens claras são visíveis
Começam logo a traçar cavalos
E formam um tão belo carrossel
Largando fios de algodão pros lados

Do ar, o mar parece ser de vinho
Suas ondas calmas, sob espumas rosas
Ah! Mas agora há uma caravela

Cintila, com seus tons alaranjados
Um sol escuro brilha no horizonte
Pois pra ser bela, qualquer aquarela

-- Cárlisson Galdino

Special: 
Avalie: 
No votes yet

Comentar