Antes e Depois

Havia um tempo, só a solidão
Junto ao silêncio frio e latejante
Sem sombra ou luz, sem vento, sem instante
Vagavam os astros pelo céu em vão

Mas eis que veio uma divina mão
E trouxe ao chão uma Lua Mingüante
Urgente, clara, tão bela, empolgante
De cor e vida além da razão

Mas a divina mão achou devido
O instante mágico ter por cessado
E entre nós um deserto foi erguido

E desde então tudo foi transformado
Agora os astros já têm um sentido
Não vagam em vão, mas só pro outro lado

Avalie: 
No votes yet

Comentar