Warning Zone #39 - Novo Cerco

Warning Zone #39 - Novo Cerco

No episódio anterior, uma ordem de ação chega diretamente da Presidência. Ação em Stringtown, justamente para neutralizar o Grupo Satã. General Abraão comunica ao ministro, por telefone, que já tem a localização do Quartel General do grupo e recebe ordem de ação imediata, priorizando trazê-los vivos. Só depois o ministro é informado pela secretária sobre a Brigada de Operações Especiais.

Em Floatibá, cidade próxima de Stringtown, Pandora e Darrel esperam pacientemente a chegada de Júnior, que logo aparece de carro.

xFencer: Vamos? Entrem!

Darrel: Vamos de moto.

xFencer: Mas cabe todo mundo no carro, ué!

Darrel; Cabe sim, mas e caso haja alguma emergência? Caso o acesso esteja difícil? Caso precisemos nos separar?

Pandora: Você usa seu superpoder, né Bem?

Darrel olha para Pandora, repreendendo-a com o olhar.

xFencer: Ah, cara, por que isso agora? Da outra vez a gente foi de carro e você nem achou ruim.

Darrel: Não somos soldados. Nunca tivemos treinamento para lidar com um confronto como esses. Vamos seguindo e aprendendo.

Pandora: Ah, não, Bem... Essa viagem toda de moto de novo? Tendo um carro aqui do lado!? Você está é com birra! Bora com ele, bora?

Darrel: Pandora, facilite as coisas?

Pandora: Facilite você! Eu vou é de carro que não sou besta.

Darrel: Tá, Pandora, você venceu! A gente vai de carro!

Pandora: Não é? Bem melhor assim! Pode tirar o capacete.

Os dois entram e partem. Pandora tagarelando, Darrel contrariado; Júnior apenas sorri e concorda com a cabeça vez ou outra.

Aproximando-se do centro tecnológico de Stringtown, eles se deparam com um cerco policial.

xFencer: O que está havendo aqui, policial?

Policial: Não podem vir por aqui.

xFencer: Mas por quê?

Policial: Sem perguntas, circulando.

Darrel: Eles devem ter atacado novamente.

Pandora: Ou vai ver descobriram a base deles.

xFencer: E os policiais vão dar conta daqueles quatro?

Darrel: Não sei, não sei. Já estamos bem perto do lugar. Eu poderia ir com vocês dois até a SysAtom.

xFencer: Como? Teletransporte?

Darrel: Não, mas é mais ou menos como se fosse.

xFencer: E isso não machuca, não é?

Darrel: Espero que não.

Pandora: Não assusta o pobre! Machuca não, Júnior, pode ficar sossegado.

Júnior leva o carro até uma rua pouco movimentada (o que não é tão difícil de se achar na Stringtown de hoje.

Darrel: Prontos?

xFencer: Vamos.

 

Na frente do prédio da antiga SysAtom Technology, vários soldados se organizam para a ação. Do outro lado, dentro do prédio, Enxofre se protege no quarto enquanto os outros três tentam lidar com isso.

Tungstênio: Não há muito o que fazer. Temos que sair e dar cabo deles. Montanha?

Montanha: Tudo bem chefe. Balas não me ferem, mas eles são soldados e podem ter armamento mais pesado.

Tungstênio: Como o quê?

Montanha: Como granadas, por exemplo.

Tungstênio: Certo... Cadê o imprestável do Enxofre?

Montanha: Tá lá no quarto.

Enxofre grita de lá.

Enxofre: Tá mais aqui não! Agora eu sou o Biotanque!

Seamonkey se levanta impaciente.

Seamonkey: Quando é que vocês vão resolver agir? Quando eles abrirem fogo? Quando chegar um tanque e destruir nossa base?

Ela vai em direção à porta.

Tungstênio: Ela está certa. Vamos!

Montanha: E o Enxofre?

Biotanque: Biotanque!!!

Tungstênio: Deixa ele lá. Balas são muito mais perigosas para ele e, além do mais, ele pode ser útil em outras situações.

Ele para um pouco.

Montanha: Chefe? Tudo bem?

Tungstênio: Tudo. Estava só me lembrando do episódio 28. Vamos.

Os três saem e são recebidos por rajadas de tiro. E é neste momento que aparecem os outros três, dentro da sala imediatamente antes de aquele primeiros três sairem.

xFencer: Pronto, estamos aqui. E agora?

Pandora: Que tiroteio é esse?!

Darrel: É muito perigoso aqui com todos esses tiros.

xFencer: Pelo menos estão dando um jeito neles.

Darrel: Só o Valdid deve ter sido derrotado.

xFencer: Ei, se a gente fechasse a porta para eles não conseguirem mais entrar?

Os dois olham para a porta e veem a luz de fora. A porta é uma placa de metal e os tiros não param.

Pandora: Gente, vamos embora daqui! Só eu tou vendo que estamos no meio de uma guerra e vai acabar sobrando é pra gente!?

Darrel: Você tem razão.

Pandora: Ai!

Darrel: Que foi?

Pandora: Alguma coisa me mordeu aqui nas costas.

xFencer: Ela foi atingida, Darrel! Definitivamente temos que sair daqui.

Sem esperar mais um segundo, Darrel segura os três. É quando Biotanque chega ao lugar.

Biotanque: Ouvi alguém chamando meu nome. Valdid coisa nenhuma, carái! Sou Biotanque agora! Mas é melhor voltar pra garagem antes que me tombem, né?

P. S.: Publicado inicialmente na Revista Espírito Livre.

Avalie: 
No votes yet

Comentar