Warning Zone #19 - BR-407

Warning Zone #19

No episódio anterior, Darrel e Pandora tentam uma investida sorrateira na SATAV, mas encontram a base da equipe de Oliver totalmente vazia. Enquanto o casal investigava, desistia e ia embora, o grupo de Oliver se encontra na BR-407, de tocaia...

Aldebaran: Deixa ver se entendi. A gente veio até aqui pra roubar um carro?

Tungstênio: Mais ou menos.

Aldebaran: Mas pra que peste a gente quer um carro se a gente não cabe dentro dele?

Montanha: Precisamos de um transporte.

Aldebaran: E o que a gente vai arrumar? Um caminhão cegonha?

Montanha: Claro.

Seamonkey: Por que acha que viemos pra cá ao invés de uma BA, idiota?

Aldebaran: Ô, ninguém fala nada, como é que eu adivinho, pô?

Tungstênio: Chega de conversa. O plano é o seguinte: vamos nos dividir. Você e Seamonkey vão ficar aqui onde estamos agora. Montanha e eu vamos andar uns trezentos metros. Vamos ficar de tocaia. Ao meu comando, Montanha derruba uma árvore da pesada no meio da pista, forçando o caminhão cegonha a parar.

Aldebaran: E a gente derruba do outro lado pra ele não fugir, tou ligado...

Tungstênio: Que bom que entende. Então, vamos por logo esse plano em ação!

Aldebaran: Mas... Chefe?

Tungstênio: O que foi agora?

Aldebaran: Pensando bem, tive uma ideia.

Tungstênio: Qual é?

Tungstênio se volta para ele, curioso. Os demais esperam a pausa de Aldebaran com atenção.

Aldebaran: É que não quero mais ser Aldebaran não.

Seamonkey: Ai meu saco...

Enquanto ela se senta na beira da estrada e Montanha coça a cabeça nervoso, ele continua.

Aldebaran: Já que a gente vai andar de caminhão cegonha, acho que vou me chamar agora Hilux!

Montanha: Como!?

Hilux: Aquele carrão, ué! A gente não vai andar num caminhão cegonha? Acho até que vocês deviam escolher nome de carro também!

Seamonkey: Vai se foder!

Tungstênio: Tudo bem, você é Hilux agora. Podemos prosseguir com o plano ou não?

Hilux: Simbora!

O grupo do mal SATAV se divide seguindo as instruções de Tungstênio. Montanha fica junto com o próprio Tungstênio em um dos pontos da estrada, enquanto, afastados no decorrer da mesma pista, Seamonkey e Hilux esperam o melhor momento.

Hilux: É um saco só esperar, não acha?

Seamonkey: …

Hilux: Você devia aproveitar esse tempo pra pensar num nome melhor pra você, sabia?

Seamonkey: …

Hilux: Você podia ser Ka, que tal? Aquele carrinho pequeno...

Seamonkey: Dá pra calar a boca!?

Hilux: Podia ser Celta também...

Enquanto isso, a outra dupla...

Montanha: Chefe, olha!

Tungstênio: O quê?!

Um caminhão cegonha vem pelo outro lado, já muito perto.

Tungstênio: Ei!

Tungstênio ainda salta, mas ao cair no chão o caminhão já havia passado.

Tungstênio: SEAMONKEY! ALD... HILUX!! MAIS ATENÇÃO! PERDEMOS UM DOS BONS!

Hilux: Desculpa, chefia!

Montanha: Estava vazio, do jeito que queremos...

Tungstênio: Verdade, mas esse passou. Vamos esperar outro.

 

Mais de uma hora depois...

Seamonkey: Estou evaporando...

Hilux: Ô mulé pra reclamar! Pior sou eu, que tenho pêlo! Ó só quando pêlo! Isso esquenta, sabia!?

Seamonkey: Bichos já têm costume de ficar ao Sol.

Hilux: Bichos!?

Tungstênio: ATENÇÃO QUE VEM OUTRO!!!

Hilux: Onde? Onde? Ah, dali!

Seamonkey: Rápido, pega a árvore, imbecil!

Hilux: Ah, é!

Hilux ergue um tronco e o joga no meio da estrada. O motorista vê o obstáculo e começa a frear. Não consegue frear o veículo completamente a tempo, batendo no tronco. Tungstênio e Montanha, que vinham correndo atrás do carro, o alcançam e tentam ajudar a frear.

Não é fácil, mas eles finalmente conseguem parar o carro. Jogam o motorista ribanceira abaixo.

Tungstênio: Lamentável...

Tungstênio olha, triste para o veículo, que trazia automóveis novos.

Montanha: É, né, chefe? Olha um Novo Uno!

Hilux: Você podia ser o Novo Uno!

Seamonkey: …

Tungstênio: Vamos ter que nos livrar deles todos. Montanha?

Montanha: É pra já, chefe!

Ele arremessa todos os carros ladeira abaixo. Então os três sobem. Seamonkey, na cabine, tenta dirigir.

Montanha: É pra hoje, cuspe?

Hilux: Ei, chefe? Sabe, tava pensando...

Montanha: Lá vem ele...

Seamonkey se concentra. Fecha os olhos, num grande esforço mental. Ao abrir os olhos, sorri. Conseguiu o que queria! Está ligeiramente mais sólida do que de costume, apesar de ainda estar meio esverdeada, ou azulada. Pelo menos é o suficiente para dirigir o veículo. Ela dá a partida.

Tungstênio: Finalmente! Vamos, Hilux, fale.

Hilux: Onde é que a gente vai estacionar um negócio desses lá na base, véi?

P. S.: Publicado inicialmente na Revista Espírito Livre.

Avalie: 
No votes yet

Comentar