Warning Zone #09 - Quarto de Hotel

No episódio anterior, Darrell acompanhava os noticiários em um quarto de hotel, enquanto Pandora dormia ao seu lado. No noticiário, que contou até com declaração do prefeito, viu a destruição causada por Oliver e sua equipe na Milihash, uma das maiores empresas instaladas em Stringtown.

Pandora: Bem...?

Darrell: Bom dia, meu bem. Como dormiu?

Pandora: Bem... Ha, ha!

Darrell já está sentado no sofá olhando pela janela e vendo o movimento de início do dia. Pandora o abraça e vai ao banheiro. Darrell pelo visto já acordou, tomou banho e tudo. E continua olhando pela janela. Após meia hora, Pandora volta e encontra Darrell no mesmo lugar.

Pandora: Está triste por não poder acessar seus e-mails, não é? Fica assim não, depois a gente vai numa lan e olha tudinho. Além do mais, só deve ter spam mesmo! O meu deve estar cheeeeio de spam!

Darrell não responde.

Pandora: Se você tiver aí na janela de olho em rabo de saia, vai ver só uma coisa...

Darrell: Senta aqui.

Pandora se senta ao seu lado no sofá e pára de brincadeira ao ver a expressão séria do namorado.

Pandora: Que que houve, Bem?

Darrell: Ontem saiu no jornal... Bom, o Oliver destruiu a Milihash.

Pandora: Não brinca!?

Darrell: Pois foi. Eles começaram antes do que esperávamos.

Pandora: Temos que fazer alguma coisa, Bem!

Darrell: Com certeza temos. O que me preocupa é que o noticiário não falou nada sobre a Sysatom.

Pandora: Ué, como assim?

Darrell: Falaram muito da Milihash mas não disseram que era o segundo incidente na cidade, nem nada parecido... É como se não soubessem o que aconteceu com a gente. Ou não se importassem...

Pandora: Ai... Fala assim não que eu fico carente...

Darrell: Você está bem, Pandora?

Pandora: Estou, meu dengo. Por que pergunta?

Darrell: Seus olhos estão estranhos... Como se tivesse passando...

De repente um raio sai de Pandora e acerta o sofá no lugar onde estava Darrell, num estrondo. Pandora vê espantada o sofá em chamas e o lugar vazio.

Pandora: Ai meu pai! Eu matei o Darrell! Que que eu faço?!

Darrell: Estou bem.

Pandora: Ai!!!

Pandora se vira e vê Darrell de pé perto da porta, atrás dela.

Pandora: Como é que você estava aqui agorinha e já está aí? Vai matar outro de susto!

Darrell: Você é que quase me mata.

Pandora: Eu? Eu mesmo não!

Darrell: Foi você que fez isso!

Pandora: Eu! Como é que eu fiz esse barulho todo, botei fogo no sofá e fiz você parar aí?

Darrell: Esta última parte fui eu que fiz, para escapar do raio que você lançou.

Pandora: Raio?

Darrell: É, bom... Seus olhos tinham uns raios passando. Agora parecem normais... Foi você que lançou esse raio.

Pandora: Puxa... E como eu fiz isso?! Tenho que saber pra não acontecer de novo! Quero não ficar sem você nesse mundo, ó! Você me perdoa?

Darrell: Claro, Pandora. Mas veja como tudo faz sentido. Sua voz está assim alterada, como se estivesse distorcida, por causa desse novo dom.

Pandora: Qual? De tentar matar quem gosto?

Darrell: De eletricidade! Vamos ter que estudar melhor isso... Pode ser um poder muito útil.

Pandora: Finalmente alguma coisa interessante na minha versão 2.0!


Enquanto isso, na Sysatom...

Bull: Diaxo!

Valdid sentado diante de um notebook olha para as próprias mãos. Uma lágrima corre de seus olhos.

Bull: Sacanagem! Sacanagem! Eu só tenho quatro dedos! E todos grossos e colados! Como de boi! Que peste! Como eu acesso a Internet desse jeito!? Consigo nem ligar essa merda!

De repente ele ri baixo...

Bull: Mão de vaca! Kkkkkkkk! Que bom! Já tenho um nome legal sem precisar lembrar essas pontas! Vou me chamar Patinhas!

P. S.: Publicado inicialmente na Revista Espírito Livre.

Avalie: 
No votes yet

Comentar