Warning Zone #08 - Televisão

Já é o segundo dia na pousada. Pandora, cansada, dorme enquanto Darrell, encostado na parede, assiste à televisão.

Apresentador: Enquanto isso a Bitmancer prepara mais um grande jogo de alcance mundial.

Representante: Nós queríamos fazer um jogo de tiro em primeira pessoa que não caísse na mesmice dos jogos que existem atualmente no mercado. No World War IV, os jogadores terão o prazer de combaterem em um mundo pós-apocalíptico, com pouquíssimas armas convencionais, onde conta mais a estratégia de sobrevivência.

Entrevistador: Então não há armas de fogo ou tecnologia...

Representante: Há sim tecnologia e algumas armas que ainda não foram inventadas no nosso mundo, mas encontrá-las será um dos desafios que deixamos para os nossos jogadores.

Entrevistador: É com você, Paulo!

Apresentador Paulo: É uma alegria ver empresas do nosso pólo tecnológico de Stringtown marcando presença no mundo inteiro! Mas nem tudo é festa no pólo tecnológico. Hoje uma das maiores empresas lá instaladas sofreu um acidente ainda inexplicado. Quem fala é Trevor Filho.

Trevor: Esta manhã aconteceu algo inesperado aqui na sede da Milihash. Um assalto seguido de destruição.

As imagens do edifício da empresa destruído são mostradas.

Trevor: Felizmente ninguém morreu. Só dois seguranças ficaram feridos, mas já se encontram bem.

(Nota do Autor: sei lá onde estavam os seguranças no episódio anterior? Não olhem pra mim!)

Trevor: Os depoimentos são desencontrados, mas todos apontam para um assalto.

Funcionário-1: Eles pediram pra gente trazer todos os notebooks, mas só havia quatro.

Trevor: E olhem a situação em que se encontra este automóvel!

Funcionário-4: Pelo que entendi eles precisavam do carro pra facilitar a fuga com os notebooks, mas como eram poucos notebooks, eles simplesmente levaram uma porta.

Trevor: Uma porta, o senhor disse?

Funcionário-4: É, e depois destruiram as paredes.

Trevor: Que equipamento eles utilizaram?

Funcionário-4: …

Delegado: Estamos diante de um crime não convencional, é o que posso dizer. As investigações estão sendo feitas e estamos mantendo contato com delegacias de outras cidades em busca do que parece ser uma gangue muito bem equipada.

Trevor: E os funcionários...

Delegado: Eles falam de homens de pedra ou não sei o que. Não sei o que viram, mas certamente estão em estado de choque. Teremos que esperar o relatório da equipe de perícia.

Trevor: Estranho como tudo aconteceu e não levaram dinheiro, apenas quatro notebooks. Devido à gravidade do ocorrido, o nosso prefeito também se pronunciou a respeito.

Prefeito: Peço calma a todos. Este incidente foi um caso muito particular e não há qualquer indício de que vá se repetir. De qualquer forma, a segurança no pólo tecnológico será reforçada já a partir dos próximos dias.

Trevor: É com você, Paulo!

Darrell desliga a televisão e começa a pensar a respeito.

“Oliver... Só pode ter sido. Começou sua idéia maluca de dominação mundial. Começou destruindo uma concorrente. Mas por que não falam da Sysatom? Já faz uns dias que a base foi destruída e é como se fosse normal! Será que a Sysatom era uma empresa tão insignificante assim?”

P. S.: Publicado inicialmente na Revista Espírito Livre.

Avalie: 
No votes yet

Comentar