Warning Zone #05 - O Resgate

Cidade de Stringtown, Bahia. Uma das empresas mais conhecidas na área de inovação tecnológica sofre um grave acidente envolvendo seu projeto de desenvolvimento de um vírus biológico. Como consequência de tão grave acidente, seus funcionários e o chefe adquirem super-poderes. Ao despertarem, Darrel e Pandora ouvem seu chefe falar de dominação mundial e fogem, sem que os vejam. O casal volta à base para descobrir com mais precisão o que estava acontecendo, quando ouvem seu chefe falar em destruir os dois, caso não queiram se juntar ao grupo. No capítulo anterior, Darrel e Pandora debatiam sobre a questão. Neste, eles vão tentar resgatar Louise. No capítulo do mês que vem, eles enfrentam o Homem-Serpentina; no seguinte eles vão ao shopping tomar sorvete de tapioca; no outro eles...

Darrel: Lá está a SysAtom...

Pandora: Ô Bem... Saudades daquele tempo bom... Faz pouco tempo mas parece que faz séculos!

Darrel: …

Pandora: Tá, e por onde a gente entra?

Darrel: Por uma passagem lateral. Por onde a gente viu a reunião.

Pandora: Hmmm... É!

Eles caminham até lá. Já é dia, mas não muito. A passagem é apertada e por pouco Pandora não se machuca. Tá, mas isso passa e logo eles estão dentro.

Pandora: Tou vendo ninguém, Bem! Tou com medo!

Darrel: Não tenha medo, eu estou aqui.

Pandora: Oxente! Que cabra macho meu homem!

Darrel: Tá, mas vê se faz silêncio senão nos descobrem.

Pandora: Ainda não entendo essa construção deles... E ficaram algumas paredes, né Bem? Ou pedaços de parede... Eles também fizeram paredes com placas de aço e arame.

Darrel: Verdade... Onde Louise estará...

Pandora: Fico pensando, ó! Onde foi que eles arrumaram tanta placa de aço dando bobeira de uma hora pra outra?

Nota do autor: não olhem pra mim... :-P

Darrel: Depois do que o vírus fez com a gente, sinceramente não duvido mais de nada.

Dobrando uma esquina eles encontram Louise dormindo. Um corpo que parece ser de gelatina. Os dois se olham, espantados.

Pandora: E agora? Como a gente acorda ela? Se tocar, ela desmancha!

Darrel se aproxima do ouvido de Louise.

Darrel: Louise? Louise? Está nos ouvindo?

Seamonkey: Que é, porra!?

Ela esfrega os olhos e se senta, encarando os dois.

Seamonkey: Então vocês dois finalmente apareceram... Impressão minha ou não aconteceu nada com vocês?

Pandora: Aconteceu sim! Minha voz virou outra coisa, ó!

Seamonkey: Estou vendo...

Pandora: Que foi? Tá triste de ver a gente?

Seamonkey: Não, só detesto que me acordem. … Olha, o Oliver está uma arara com vocês.

Darrel: É, estamos sabendo e por isso viemos aqui falar com você.

Pandora: Ele ficou louco, mulher! Você não viu? Perdeu os parafusos tudinho... Com esse negócio de dominar o mundo...

Seamonkey: É verdade. Vocês deviam ver o discurso dele...

Darrel: A gente ouviu uma parte.

Seamonkey: E estavam onde? Escondidos? Pensei que tinham ido pro Pastor João e me deixado aqui com esse bando de malucos.

Pandora: Hahaha! Que nada! Mas a gente veio aqui pra te salvar.

Seamonkey: Salvar de quê?

Pandora: o Oliver enlouqueceu, esqueceu?

Tungstênio: Quem enlouqueceu?

Os três olham para trás e lá estão os brutamontes, na única entrada do quarto, encarando com mau humor.

Pandora abraça Darrel e os dois encaram aquela gangue assustadora.

Tungstênio: Acho que temos uns bugs... Vamos fazer uma reunião emergencial pra tratar deles...

P. S.: Publicado inicialmente na Revista Espírito Livre.

Avalie: 
No votes yet

Comentar