Eleições e Internet

Hoje vou contar um caso
Que aconteceu de verdade
Graças à "inteligência"
De quem quase nada sabe
A não ser mentir pro povo
Pra se eleger de novo
Sempre que o mandato acabe

Política é algo bom
Mas não é o que eles fazem
No Brasil há muito tempo
Só tem é politicagem
Você pensa diferente?
Então leia mais a frente
E vai ver que sacanagem

A propaganda política
Em rádio e televisão
É direito garantido
Em época de eleição
Pra evitar briga de graça
Que injustiça não se faça
Tratam disso com atenção

Um controle foi criado
Que é muito importante
Pra manter o nível bom
Se um ataca num instante
Há direito, e se mostra
Um direito de resposta
Do atacado ao atacante

Tudo isso é muito bom
Ajuda bem na questão
Por anos tem funcionado
Quando é hora de eleição
É assim que se tem feito
Sempre funcionou direito
No rádio e televisão

Com o tempo apareceu
Um recurso diferente
Do que era então conhecido
Veio então de repente
Como quem não quer é nada
Logo, logo, está instalada
Internet a toda a gente

Computadores acessam
Um espaço virtual
Garantindo aos usuários
Acesso a um mundo tal
Com muita informação
Que era na ocasião
Agrupada num portal

Mas a tal da Internet
Não é só uma revista
Que foi digitalizada
Não é jornal que se assista
Como na televisão
Temos que ter atenção
Como a Internet é vista

No início da Internet
Uns dez anos no passado
Poucos colocavam sites
Para serem acessados
Mesmo assim, quem desejasse
Se um designer pagasse
Podia ser publicado

A Internet envolve texto
Som, imagem, discussão
Muitas formas diferentes
De ter comunicação
Não é presa a quase nada
Nem tem nada a ver com nada
Rádio, nem televisão

De uns anos para cá
A Internet evoluiu
E num canto mais aberto
Ela se constituiu
Chamando o visitante
A ser um participante
Daquilo que ele viu

Quer botar opinião?
Para isso tem o blog
É um tipo de diário
Seja pra trabalho ou hobby
Se quiser ter um ligeiro
Não tem que gastar dinheiro
Há grátis onde se olhe

Também tem site pra fotos
Que é fácil de publicar
Se você gravar um vídeo
Que queira ao mundo mostrar
Fácil, sem que muito estude
Pode usar o tal YouTube
E o vídeo liberar

É assim o novo mundo
Da Internet de hoje em dia
Todos podem fazer parte
Bem melhor que se fazia
Quer espaço, tem demais
Os direitos são iguais
Pra mostrar o que se cria

Mas tem gente que não tem
Sobre algo conhecimento
E insiste em discutir
Qual o "sábio do momento"
Um conselho não aprende
Só fale do que entende
Ou passará por jumento

Senadores brasileiros
No auge da ignorância
Acabaram de aprovar
Lei que pela vigilância
Num absurdo legislar
Da Internet quer tratar
Como mídia de outra instância

Pensam que a Internet
É como televisão
Sem pesquisar a respeito
Sem ter nenhuma noção
E colocaram em nota
O direito de resposta
Olha que situação!

Um direito de resposta
Na Internet como é?
Se quem quiser ter um blog
Nele escreve o que quiser
Quem se sente ofendido
Faça blog e nele, escrito
A resposta que se quer

Foi alguns meses atrás
Que jornal mal intencionado
Falou mal da Petrobrás
E ela, num blog danado
Falou a sua versão
Esclarecendo a questão
Viram: o jornal estava errado

Eu citei a Petrobrás
Porque é o que me recordo
Mas Internet é assim
Todos estamos a bordo
Cada um tem o direito
De expressar do seu jeito
No seu blog, do seu modo

O que querem senadores
No caso eleitoral?
Se num blog eu falar
E um candidato achar mal
Eu escreva no meu blog
Texto dele que eu reprove
E fique tudo legal?

E essa tal de nova lei
Ainda tem outro porém
Quer tirar o anonimato
Na Internet e, veja bem
Como fosse ela um lugar
Que se pode dominar
Por uma regra que vem

"Internet" é um mundão
Milhares de blogs, sites
Serviços dos mais diversos
Cada um deles que sabe
Se anônimos vai querer
Mas o Senado hoje quer
Que anonimato acabe

É preciso anonimato
Direito do cidadão
Pelo menos na Internet
Pode parecer que não
Nossos dados pessoais
Ficam expostos demais
Se expor é uma "opção"

Enquanto a população
Não pode mais optar
Por proteger os seus dados
Quando se pronunciar
Quem for patrocinador
Do candidato que for
Não precisa se mostrar

Isso é sim muito pior!
No mundo capitalista
Não é porque é bonzinho
Que patrocínio exista
Quem investe em candidato
Com certeza, isso é fato
Tem algum lucro em vista

E nós, a população
A mercê de empresários
Sem saber nem quem serão
Se são poucos, se são vários
E se farão, com certeza
Mais leis em função de empresas
Seremos nós os otários

Caro amigo eleitor
Essa história que hoje traço
É a pura realidade
Foi dado esse tronxo passo
Se você for no senado
Pra ficar mais arrumado
Use um nariz de palhaço

Avalie: 
No votes yet

Comentar