ufal

Inauguração da Ufal Arapiraca

Arrumando papéis antigos, encontrei este convite para a inauguração do Campus Arapiraca da Ufal. Achei que seria interessante compartilhar, já que se trata de um evento de certa importância na História da cidade. Foi em 2006, há mais de 10 anos já.

Principalmente neste cenário em que não sabemos o quanto vai durar como universidade pública...

Special: 

Eleições 2015 na UFAL

UFAL - Eleições 2015

A Universidade Federal de Alagoas, uma das empresas com maior orçamento do estado, conta hoje com 3 campi, estando instalada em várias cidades (mesmo porque além dos campi existem os polos).

Com eleiçõs para reitor marcadas para dia 2 de setembro, três chapas estão em campanha, enfrentando as dificuldades de se fazer campanha durante uma greve.

Para quem quer conhecer um pouco, as 3 chapas são:

  1. Outra UFAL - reitora Valéria Correia e vice-reitor Prof. Vieira - ela, diretora da Faculdade de Serviço Social; ele, coordenador do curso de História, no Campus Sertão
  2. Seja mais UFAL - reitora Rachel Rocha e vice-reitor Zé Carlos - ela, vice-reitora da gestão atual; ele, diretor do Instituto de Matemática
  3. Muda UFAL - reitor Marcio Barbosa e vice-reitora Eliane Cavalcanti - ele, presidente da Adufal; ela, diretora do Campus Arapiraca

Características interessantes a se notar: todas as chapas têm os dois gêneros representados; as duas chapas de oposição tem como vice uma representação do interior do estado. Será que tem algum significado?

Bem, quem se interessar por essa disputa pode visitar os sites dos candidatos para conhecê-los melhor.

Special: 

#UfalSegura - Arapiraca há 4 meses parada

Desde o dia 3 de abril deste ano as atividades no Campus Arapiraca da UFAL estão paradas. O  motivo: fugas e tiros recorrentes em direção às salas de aula, pondo em risco toda a comunidade acadêmica.

O Governo não tem demonstrado muito interesse prático na solução deste problema. O máximo que fez foi dizer que conclui a construção do novo presídio em menos de um ano (quantos meses exatos não vem ao caso, já que não sei quando, dentro dos últimos 2 meses, ele disse isso). E que nenhum preso vai ser removido até lá e, mais importante, que não nos dá nenhuma garantia de que tais incidentes de insegurança voltem a ocorrer.

Curiosidade que estamos em ano eleitoral e fica a dúvida se esse prazo vai mesmo ser cumprido. Claro, pode ser um truque para evitar que nós "prejudiquemos" seus aliados políticos e a imagem do governo como inerte faz com que muitos temam que seja este o caso (já ouvi muitos comentarem a esse respeito).

Hoje, no Facebook, a comunidade continua discutindo se volta ou não às atividades mesmo assim. É o desespero de verem que já se passaram 18 semanas (mais de 4 meses) e o governador parece mais preocupado com a campanha dos seus candidatos às prefeituras do que com a vida, segurança e formação de uma comunidade de cerca de 3.000 estudantes (e todos os professores, técnicos e terceirizados).

O principal pedido, negado por 4 meses, é de medidas que garantam nossa segurança:

  • Medidas paliativas já prometidas e nunca cumpridas, como construção do muro que separe a UFAL do presídio
  • Investigação dessas fugas e, caso seja comprovada culpa de alguém como muitos suspeitam, punição dos responsáveis. Esse ponto em especial deveria ser reinvindicação do defensor público, já que já houve morte de reeducando, baleado durante uma dessas fugas.

Coisas assim resolveriam, ao menos até a construção do novo presídio em Craíbas, que vai demorar.

Special: 

UFAL - 3 Meses sem aula - #UfalSegura

13 semanas sem aula

Depois de muita pressão, o Governo veio com uma proposta: construir o presídio novo em sete meses e reforçar a segurança no presídio que fica dentro do Campus Arapiraca para que aguentemos até lá, instalando câmeras de vigilância e aumentando o número de agentes penitenciários. Seria muito lindo, mas...

  1. Mais agentes significa mais munição por lá. Quando os presos fogem, os agentes atiram em direção à UFAL. Mais agentes não garante que esse comportamento vá mudar. Há risco de piorar a situação.
  2. Colocar câmeras e fazer reformas em um prédio que vai ser desativado? Investir nele só vai dificultar sua desativação no futuro, já que o valor do prédio aumentará, a longo praso, à toa.
  3. O Governo fala de sete meses, mas quem garante? Eleições estão aí e há o medo de esses sete meses serem só um drible nos manifestantes. Para que quando todos se deem conta de que o praso não vai ser cumprido, os amigos do Governo já estão todos eleitos e felizes e o Governo não se importe que os insatisfeitos se manifestem.
  4. Sem contar que há anos temos promessas. Foi construção de muro, chegada de agentes, instalação de câmeras... Se promessa resolvesse, hoje já estávamos bem.

Por isso que a paralisação, o Movimento Ufal Segura, continua: não dá pra estudar e trabalhar num ambiente assim, com o medo constante de tiros. Alguns alegam que risco há em qualquer lugar, mas é diferente: a presença de um prsídio com fugas constantes e disparos constantes não é uma característica de risco mundano. Veja no mapa na imagem: o presídio fica DENTRO do território da UFAL. Veja o gráfico de fugas: desde 2006, quando o campus foi inaugurado! Me diga: pode?

A paralisação hoje completa três meses e o Campus Arapiraca só deverá voltar às atividades quando o presídio for desativado. O dinheiro que seria para o muro que melhoraria a segurança por aqui  foi utilizado para reformar o presídio de Maceió. Depois de pronto, disseram não ter condições de receber os presos daqui. O que te parece?

Special: 

9 semanas de #UfalSegura

Já são 9 semanas sem aula. Semana passada houve 2 incidentes envolvendo tiros em direção à UFAL. Relatos de funcionários de Serviços Gerais e alguns técnicos que eventualmente estavam no local (a maioria dos técnicos está trabalhando em um local provisório fora do campus) relataram o pânico que foi. Aparentemente, nenhum dos dois casos ganhou voz na imprensa.

E o problema ainda não foi resolvido.

Special: 

8 semanas sem aulas #UfalSegura

8 Semanas Parada

Este é um resumo visual "comemorativo" das 8 semanas em que estamos sem trabalhar devido à falta de segurança no Campus Arapiraca da UFAL. Volta e meia temos notícia de uma ordem de remoção dos presos, seguida de outra notícia em resposta proibindo tal remoção. É como se "alguém" tivesse já contatos a seu favor, usando-os como coringa sempre em resposta aos aparente sucessos. O objetivo? Certamente ganhar mais tempo. A pergunta é: a quem realmente interessa que as coisas continuem como estão?

Special: 

A Luta por uma #UfalSegura

UFALvo

Na noite da última terça-feira começou no Twitter uma mobilização da Comunidade Acadêmica do Campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas.

Como já falei em outras ocasiões, a UFAL aqui está paralisada devido à baixa segurança. O terreno do campus rodeia um presídio. Volta e meia há fugas e os agentes sempre atiram em direção à UFAL.Por isso o presídio precisa ser desativado. Várias medidas de solução às pressas foram prometidas, poucas foram efetivadas e nenhuma resolveu. Por isso a luta continua.

Quem quiser ajudar nossa causa no Twitter, basta comentar a situação por lá usando a tag #UfalSegura.

Para quem ainda não viu, uma aluna fez um video com uma paródia de Para nossa alegria.

Aqui estão alguns dos tweets que achei mais interessantes/relevantes dos que vi (claro, minha opinião):

  • @gababraga Hoje problema da UFAL, mas no futuro um problema de Arapiraca. Um presídio em ÁREA DE EXPANSÃO URBANA em breve no calo de todos. #ufalsegura

  • @AmandhaNuness Esse é o governador que vcs escolheram... Pra "economizar", acaba colocando a vida dos outros em risco... #UfalSegura

  • ‏@lrsantos4 Minha faculdade é tiro ao alvo, está na hora de mudar essa realidade né governo? #UfalSegura.

  • @ThamiLeonel Não posso estudar porque a minha Universidade tá na mira da violência. #UFALSegura já!

  • @ckellyakin E os Direitos humanos só andam do outro lado ô peraê somos humanos tbm não é?! #UfalSegura

  • @sivaldolino Não vamos aceitar medidas palitivas, pq essa não foi a 1ª fulga, teve muitas outras, medidas que deveria ser tomanda não foram #ufalsegura

  • @LannaAlbuquerq A Ufal de Arapiraca é um exemplo! Promove atividades físicas regulares estimuladas por projéteis de arma de fogo! ¬¬ #UfalSegura

  • @carlisson Governador, a UFAL é um reflexo da falta de segurança no estado. Comece a resolve em grande estilo! Torne a #UfalSegura

  • @mony_limahh eu quero estudar arquitetura e não meios de fugir de balas! #ufalsegura

  • @lrsantos4 Você que está forever alone, não reclame que ninguém está correndo atrás de você, foque nas fugas, são muitos pretendentes. #UfalSegura.

  • @sivaldolino Pq a educação não é respeitada? Isso não é algo que gera prejuizo, pelo contário essa é a arma que transforma vidas #ufalsegura

  • @phmateus Enquanto uns vivem entre Tapas & Beijos, nós dá UFAL Arapiraca vivemos entre Balas & Presos #UfalSegura

  • @gababraga Já passou o tempo das medidas paliativas. Agora só aceitamos a transferência TOTAL dos reeducandos. #ufalsegura

  • ‏@mony_limahh Tudo é dificil... não dar pra ajudar(dizem os politicos quando procurados!),mas quando precisam de votos viram uns anjos #ufalsegura

  • @paranossaagonia Será que terá que alguém morrer para isso ter que mudar? #UfalSegura

  • @Nanzinholima Com segurança na Ufal esses estudantes serão o futuro do manhã. #UfalSegura

  • @sivaldolino Só lembrando o fato de ocorreu em Palmeira dos Índios onde um policial não deixou um estudante protestar alegando Anarquia #ufalsegura

  • @lrsantos4 Meu sonho de infância se realiza nas fugas da Ufal. Sim, me amo/sou o Flash da liga da justiça, beijo. #UfalSegura.

  • @forromolecular A necessidade de ter que tuitar #ufalsegura já demonstra o nível de prioridades do poder público

  • @LannaAlbuquerq Neglicenciar a educação mais do ela já é neglicenciada? É de se perguntar realmente: aonde iremos parar? #UfalSegura

  • @gababraga Um sonho de vida a depender do meu querido governo para se realizar: #ufalsegura

  • @rafaujs Produção do @profreporter faz uma matéria sobre os problemas de segurança em Alagoas, que fazem federal não ter aula a 52 dias. #UfalSegura

  • @Nanzinholima estamos paralisados há 52 dias , queremos uma #UfalSegura

  • @Luciano_Barbosa #UfalSegura já! A demora prejudica todos nós!

  • @MayBarbara Bom dia para aqueles que podem estudar sem medo! #UfalSegura

  • @EmersonFmat Estréia amanhã o filme Tropa de Elite 3 Proteção UFAL... Não queremos policiais no campus... Bastam os tiros q vem de lá #UfalSegura

  • @Edja_Lopes Você sabia que a planta da ufal arapiraca abrange e ultrapassa o terreno do presidio? #ufalsegura

  • @Edja_Lopes Crescer não é evoluir, crescer é ficar maior. Evoluir é ficar melhor vamos evoluir #ufalsegura

  • @DaSilveira Bom dia, esperando pela #ufalsegura que o projeto de interiorização das UF's deveria garantir!

  • @_ayahsminne Não temos vidas de vídeo game #UfalSegura

  • @SimoneFonseca10 Chega de políticos inúteis nesse Brasil! Se eles não fazem, a gente faz: Por uma #UfalSegura

  • @marinaasales Ninguém gosta de ficar sem aula, nem por causa de greve dos professores e muito menos por causa de falta de segurança no campus! #UfalSegura

  • @ThamiLeonel Vão se ferrar, vereadores! Porque não transformam as suas residências em casa de custódia? http://t.co/zc9BeHP3 #UFALSegura

  • @carlisson Tarcizo Freire quer perpetuar nosso sofrimento: propôs na Câmara (lá aprovado) transformar presídio em casa de custódia! (?) #UfalSegura

Acompanhem a tag #UfalSegura no Twitter.

UFAL + Presídio #2

Se houvesse um Monopoly Arapiraca, com o vermelho sendo as instituições de ensino, a UFAL não ficaria só pertinho do presídio, mas com o presídio dentro.

Como já disse em outro post, a UFAL está paralisada em Arapiraca devido ao sério problema de segurança enfrentado há anos e que só se agrava.

Na última quarta-feira a fuga que levou a uma "basta" por parte da comunidade acadêmica fez aniversário de um mês. O que temos? Muitos obstáculos já foram superados e novos obstáculos apareceram.

O problema das fugas do presídio (que estranhamente fica dentro do terreno da UFAL) é recorrente, assim como as promessas governamentais de ao menos amenizar o problema. Em 2011 o Governador prometeu a construção de um muro que supostamente melhoraria a segurança. No final do ano, nada feito ainda, prometeu que o recurso que seria destinado ao muro seria realocado para a reforma de celas em Maceió que estavam sem uso, para que os reeducandos fossem transferidos provisoriamente para Maceió.

Pois bem, uma das notícias que temos é de que as 100 celas (que receberiam provisoriamente nossos cerca de 200 detentos) já estão reformadas, mas estão sendo ocupadas. Alega-se que houve aumento de 400 detentos na capital nos últimos meses. O prazo que o Governador deu em dezembro foi de 90 dias, o que já venceu faz tempo. E aí? Como fica?

Agora vamos ao novo presídio. Depois de receber uma cobrança da Prefeitura de Arapiraca em resposta ao seu pedido de terreno para a construção do presídio ("não temos terreno adequado. Vocês nos devem X milhões. O que podemos fazer é autorizar que esse recurso que vocês nos devem seja usado para a compra do terreno"), tem-se dito que a prefeitura de Craíbas, que fica perto de Arapiraca, cedeu o terreno. Ok!

Em reunião em Brasília para tratar do assunto, nosso Diretor Geral foi informado de que há uma verba de R$ 14,5 milhões pronta para a construção do novo presídio. Segudo disseram, basta o Governo Estadual apresentar que tem o terreno com o destino e o projeto de construção, que a verba estará à disposição no dia seguinte. Ok 2.

Assim temos duas pendências: a situação provisória, que é a transferência dos detentos para a capital esbarrou em um juiz de lá, que alega que a capital não pode receber esses presos. A construção do presídio (que leva 2 meses se for em pré-moldado ou de 8 a 12 se for uma construção convencional - há projetos do Governo Federal já prontos para as duas modalidades, à disposição do Estado; e que pode ser pedida em licitação emergencial) espera não se sabe o quê.

Enquanto o Governo não toma atitude (duas apenas: cumprir com a promessa da remoção e iniciar logo os trâmites para a construção do novo presídio), a UFAL continua parada por tempo indeterminado; estudantes estão sem aula e em breve correrão riscos de perderem o semestre.

Enquanto isso vamos às ruas, e para esta sexta-feira 4 está programado um seminário sobre a Universidade e o Sistema Prisional. O seminário ocorrerá a partir das 8 horas na Casa da Cultura, tomará toda a manhã e está aberto à toda a sociedade.

Para acompanhar melhor as ações de mobilização, sigam o blog UFAL Segura.

Special: 

UFAL + Presídio

Semana passada aconteceu um incidente na UFAL.Mais uma fuga de presidiários e mais uma vez tiros são disparados em direção aos prédios do Campus Arapiraca, durante o dia e em momento de aulas.

O resultado é esperado: caos. Correria, gente se machucando. Felizmente ninguém da comunidade acadêmica se machucou com os tiros, mas se machucaram com o caos gerado. Sem contar que os fugitivos sequestraram a besta que traz os professores que moram em Maceió. A besta e o motorista.

Para quem não sabe como são as coisas por aqui, um resumo: o campus oferece hoje em Arapiraca 14 cursos, 3 dos quais são noturnos. Inaugurada em 2006, desde aquela época, temos um bloco extra. O presídio fica dentro do terreno que foi cedido para construção da UFAL (há quem diga que o terreno já estava destinado à UFAL antes mesmo de o presídio chegar). Dentro mesmo. Dos quatro lados do prédio que é o presídio, 3 fazem fronteira com o terreno da UFAL.

Havia uma promessa de que os presos seriam transferidos para Maceió. Devido a essa promessa, colocaram o carro na frente dos bois e transferiram parte dos funcionários antes de assegurarem que a reforma necessária para viabilizar a transferência dos presos estivesse concluída. Resultado? A situação só piorou. Não há previsão para a reforma de lá e há menos funcionários hoje do que havia antes.

Devido a toda essa problemática, o Campus Arapiraca da UFAL está paralisado, cobrando que sejam tomadas ações de fato para solucionar o problema da segurança em nosso ambiente de trabalho (e estudo).

O Governo do Estado (que parece ser o maior causador de todo esse problema) pede à Prefeitura um terreno para a construção do presídio. O prefeito diz que não tem um terreno que atenda às especificações necessárias para um presídio e que o Estado tem com o Município uma dívida de mais de 1 milhão de reais e que, se a dívida for paga, todo esse valor será empregado na aquisição de um terreno para esse fim.

Enquanto uma solução não aparece, a Direção do Campus não se responsabiliza por uma volta às atividades antes que uma solução seja iniciada (e não apenas prometida. Não é a primeira vez que acontece uma fuga e que acontecem tiros e promessas já recebemos muitas); o Conselho da UFAL em Maceió votou em apoio à paralização e estão sendo feitas cobranças.

Enquanto isso, alunos ficam sem aula (mas estão ativamente envolvidos nessa causa)...

Special: 

Páginas